“Meu corpo. Minas regras” Tatuagens Femininas

“Meu corpo. Minas regras”. Temos certeza que você já viu essa frase por aí. Ela faz parte de uma grande campanha que empodera as mulheres a fazerem e usarem o que quiserem, sem se importar com a opinião alheia. Se você parar para analisar com frieza, esta é uma afirmação bem intensa, porque ela também traz uma mensagem de libertação.

E se o corpo é seu, você decide como decorá-lo também. Correto? Assim não existe mais tatuagem que combina só com homens ou só com mulheres.

Mas o fato é que, muitas meninas que sempre sonharam em fazer uma tatoo, agora estão realizando esse desejo graças ao surgimento de profissionais especializados em traços delicados e super finos. Esse acabamento meticuloso garante que você faça vários desenhos pelo corpo e ainda mantenha a sua feminilidade.

Um exemplo? Tatuagens para Mulheres de todas as idades e gostos no:

Nossa equipe adora essa possibilidade e, por isso, resolvemos fazer um apanhado com várias referências lindas, tanto locais para tatuar, quanto de desenhos, para servirem de inspiração para você. Lembrando que copiar exatamente um desenho que você vê por aí pode não ser tão legal, mas vale se inspirar nos traços para criar uma que seja exclusivamente sua!

Tatuagem não é algo sazonal, apesar de alguns tipos de traços e desenhos serem característicos em determinados momentos. Você precisa se identificar com o desenho, por mais que ele marque uma fase específica da sua vida. Seja um versículo, uma frase ou palavra que te toque.

No momento está no auge as tatoos orgânicas: flores, ramos e pontilhados estão entre as queridinhas. Explore o antebraço e o tríceps! Também curtimos as tatoos feitas na costela e na coluna (normalmente combinam com frases). Repare que, para uma tatuagem ser delicada, ela não precisa ser necessariamente pequena. Há belíssimas tatuagens de flores que são grandes, mas carregam uma delicadeza extrema!

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*